KIT EMBREAGEM VECTRA 2.0 REMANUFATURADA

5/5

VECTRA CD 2.0 16V GASOLINA SEDAN (1997 – 2003)

VECTRA GSI IMPORTADO 2.0 16V GASOLINA SEDAN (1996 – 1996)

VECTRA CD 2.0 8V GASOLINA SEDAN (1996 – 2003)

VECTRA GLS 2.0 8V GASOLINA SEDAN (1997 – 2003)

VECTRA GL IMPORTADO 2.0 8V GASOLINA SEDAN (1996 – 1996)

VECTRA GLS IMPORTADO 2.0 8V GASOLINA SEDAN (1996 – 1996)

VECTRA GSI IMPORTADO 2.0 16V GASOLINA SEDAN (1996 – 1996)

1 Disco

1 Platô

Marca: RS Embreagem

Código: RS 1763

Código referência Luk: 622302209

Disponibilidade: Em estoque.

Imagens meramente ilustrativas.

Garantia: 06 meses (não nos responsabilizamos pelo mau uso ou instalação indevida, causando a perda da garantia).

Recomendamos que os produtos sejam instalados por profissionais especializados. Oferecemos o serviço de instalação do kit de embreagem em nossas lojas. Consulte com nossos vendedores!!!

equipamento de tecnologia de ponta.

Através de procedimentos de remanufaturamento, as peças são montadas com os mesmos padrões de qualidade das embreagens originais, sendo desmontadas totalmente, onde são feitas as substituições dos componentes danificados por novos de total qualidade, agregando menor custo e benefício ao cliente; proporcionando ao mesmo a certeza de adquiri um produto com alta qualidade confiabilidade e garantia.

Com foco em tradição e qualidade desde 1989, a empresa RS Embreagem é pioneira na produção de peças remanufaturadas. As peças produzidas pela RS Embreagem são recuperadas com equipamentos de tecnologia de ponta. Através de procedimentos de remanufaturamento, as embreagens são montadas com os mesmos padrões de qualidade das originais, substituindo os componentes danificados por novos, agregando menor custo benefício e proporcionando ao cliente a certeza de adquirir um produto com qualidade, confiabilidade e garantia. Adquira conosco o melhor KIT EMBREAGEM REMANUFATURADA DO VEÍCULO CHEVROLET VECTRA 2.0 96-03 .

A segunda geração do Vectra, surgiu em 1995 com a segurança, o design e a aerodinâmica como carro-chefe. O Chevrolet Vectra (B) compartilhou a plataforma GM2900 de seu antecessor – Vectra (A) – com inúmeras mudanças que afetaram tanto sua estética (que alguns rejeitaram como continuidade) quanto suas dimensões.

Inicialmente disponível como sedã de quatro ou cinco portas, tinha 4,48 metros de comprimento e 1,7 metros de largura, com uma distância entre eixos de 2,63 metros. A Chevrolet investiu quatro anos no seu desenvolvimento. Sua apresentação foi no Salão Automóvel de Frankfurt em 1995, as vendas começaram naquele outono.

A marca deu ênfase especial ao design com um objetivo claro: melhorar o coeficiente de arrasto em relação ao Vectra (A), uma das marcas dos Chevrolets do final dos anos 80 e início dos anos 90. Para isso, alguns sacrifícios tiveram que ser feitos, como o detalhe dos retrovisores fixos, que não podiam ser dobrados e eram mais eficazes do que eficazes em termos de visibilidade, mas que alcançavam uma linha contínua com os traçados no capô.

A carroceria manteve as características do Vectra anterior, mas a marca trabalhou detalhadamente no design. Outro dos pilares em que a Chevrolet se apoiou durante o lançamento foi a segurança. O Vectra se orgulhava de ser o primeiro carro de produção com pedais retráteis, sistema denominado PRS (Sistema de Liberação de Pedal), patenteado pela marca, e que consistia na retração automática dos pedais de freio e embreagem em caso de acidente sem penetrar no inferior. parte do habitáculo e, portanto, sem o risco de ferir os pés do condutor.

Além disso, o Vectra foi o primeiro veículo de série grande a ser equipado com os chamados airbags de tamanho normal ou superdimensionados, inflados com argônio pressurizado a 200 bar. No entanto, se a marca se destacou nos anos anteriores, foi pelo desempenho de seus motores a gasolina. O Vectra (B) estava disponível com dois blocos 1.6 com 8 e 16 válvulas que entregavam 75 e 100 cv, respectivamente.

Acima estava o 1.8 com 115 cv e o elogiado 2.0 16v com 136 cv que, embora já com o limite da tecnologia ECOTEC, continuava a oferecer um desempenho magnífico combinando desempenho com baixo consumo. Ele estava disponível como uma versão GT, com desenvolvimento mais curto e diferentes configurações de amortecimento. No topo da gama estava o refinado 170 hp 2.5 V6 do Vectra anterior, mas não havia nenhum traço de variantes de tonalidade esportiva, como aquelas apetitosas Vectra Turbo 4 × 4 com nada menos que 204 hp.

Na versão Diesel, porém, a marca não havia avançado tanto, então o Vectra teve que se contentar com os modestos 82 cv 1.7 TD que logo seriam substituídos pelo 2.0 DI 16v de potência idêntica, mas com injeção direta, tornando-se o primeiro veículo que combinou esta tecnologia com a cabeça do cilindro multiválvula.

Mais tarde chegaria à variante com intercooler e 100 CV, mais em linha com as aspirações de um sedan médio da época, e com a reestilização de 1999 o 2.2 DTI 16v de 125 CV seria incluído. Com este restauro despediu-se dos 2 litros de gasolina para dar lugar ao 2.2 ECOTEC 147 cv, um motor que não se destacava dos seus rivais. Os motores a gasolina se destacaram por seu bom desempenho, mas a diesel o Vectra estava um pouco fora do gancho.

O Vectra também apresentava alguns pontos fracos que a marca foi capaz de solucionar e outros que o deixariam fora do gancho em relação à concorrência. Por exemplo, as primeiras unidades não tinham um volante com altura ajustável, portanto, encontrar a posição de direção ideal dependia do tamanho da pessoa sentada ao volante. Da mesma forma, não existia climatização automática e os comandos dos reguladores de janela localizavam-se entre os bancos, como no modelo anterior, em local menos acessível do que o habitual nas portas.

No entanto, a coisa mais questionável sobre o Vectra – e como em todos os Chevrolets de tração dianteira – era seu comportamento. Grande parte da culpa recaiu sobre as suspensões descontroladamente macias, bem como tudo entre eles e a direção. Tanto é que a marca variou o ajuste das molas traseiras em 50% de dureza, por isso foi parcialmente resolvido.

Encontramos um painel de instrumentos com desenho inspirado no Omega, com uma tela multifunções à direita da instrumentação principal, o que obrigava a deslocação das saídas de ventilação para o lado do passageiro. Tinha bons acessórios e materiais de qualidade aparente. Pôde optar pelo lançamento a um navegador GPS (Vectra Navigation System) Delco Electronics CDR 500 com tela colorida.

Quando se tratava de espaço, o Vectra estava no meio termo em termos de largura ou altura. Por sua vez, o porta-malas teve capacidade para 500 litros, com a carroceria de quatro portas e 480 litros no caso do hatchback. E quando se trata de segurança, a Chevrolet disse que a carroceria buscava a máxima segurança passiva em colisões frontais, traseiras e laterais.

Sua gama mecânica foi combinada com cinco níveis de acabamento: o básico -exclusivo do 1.6-, GL, GT, CD e CDX para o V6. Não havia grandes luxos ou detalhes distintos, mas oferecia o que se esperava de um salão comum da época. Apesar de tudo, a Chevrolet conseguiu manter o Vectra (B) entre os mais vendidos até ceder ao Vectra (C) em 2002, graças às melhorias mencionadas, à evolução dos seus motores e a reestilização em seu design.

Procurando o KIT EMBREAGEM REMANUFATURADA DO VEÍCULO CHEVROLET VECTRA 2.0 96-03? Conte conosco para atendê-lo. Temos a melhor embreagem remanufaturada do Brasil!!!

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *